skip to main | skip to sidebar

9 de novembro de 2008

CUPIDO



Cupido por Edvard Munch



Na tua boca que é a sede dos meus dedos
Nos teus olhos cor de cobre incendiado
Revelas um a um os teus segredos
Num convite mudo antecipado

E já no teu sorriso se entendia
Que dentro desse corpo de rainha
Se escondia a secreta fantasia
De espadas e de beijos ser bainha

Que pode um homem só enfeitiçado
Na magia do corpo oferecido
Senão oferecer-lhe o seu reinado

Guerreiro noutras guerras ja ferido
Jaz agora de setas trespassado
Por cupido de amor desiludido

Poema de FERNANDO TAVARES RODRIGUES
In XXI Sonetos de Amor, ficheiro que me foi enviado por NONAS

4 comentários:

Fatyly disse...

Maravilhoso!

Beijocas e um bom domingo

claras manhãs disse...

Obrigado Fatyly

beijinho

Dual disse...

Ciao navigando per gli infiniti mari del web..eccomi qui..ti lascio un salutino!!

claras manhãs disse...

Salute per te, Dual


beijinho