skip to main | skip to sidebar

15 de setembro de 2008

ESPERAMOS TODOS



Marília Campos - ausência



Pelo dia que se arrasta, pelo telefonema que não chega, pelo amor que se atrasa, pela vida que não vivemos
esperamos
pelo almoço que marcámos, já vai para dois meses e que todos os dias é adiado, pelo nevoeiro que queremos se abra, pela luz que queremos irradie num dia por nós marcado
esperamos todos
que dentro de nós se abra o coração, que o sorriso apareça, sempre dependente de um outro olhar, sem percebermos que só virá completamente, quando for verdadeiro o nosso eu, pela alegria intrínseca que saibamos fazer renascer
esperamos
pela vida fora, o que queremos que nos traga, incapazes de perceber que somos nós que a construímos dia-a-dia, com os nossos pensamentos e as nossas reacções
esperamos
todos esperamos
tudo da vida, como se ela fosse rebuçado embrulhado em papel dourado, sentindo-nos infelizes por a realidade ser mais dura e não haver nem embrulho, nem papel dourado, nem rebuçado
esperamos pela felicidade, trazida nas mãos por outros, sempre por outros, que imaginámos serem o que não são, deixando cair o sorriso e a alegria, à primeira desilusão que chega
esperamos todos
esperamos
que as dúvidas se desfaçam, que o nevoeiro não apareça, que os anjos desçam, sabendo que eles não têm sexo, esperamos por um sim, por um não, por um futuro, que já o é no segundo seguinte
esperamos
todos esperamos
enquanto a vida avança, que o tempo corre depressa e damos por nós, já no meio, esperando ainda sabe-se lá porquê, olhando o relógio, esquecendo o tempo, contando os minutos, esquecendo o tempo, contando os segundos e o tempo avançando
esperamos todos
esperamos
pela vida que continua a correr por entre fiapos de dias que se passam sem se viver, e assim vamos deixando escorrer por nós vagarosamente a vida que não vivemos, esperamos pelo fim que se aproxima sem dele nos darmos conta, porque
esperamos sempre
todos esperamos sempre
qualquer coisa, um telefonema que não chega, um amor que se atrasa, um futuro que se arrasta.


26 comentários:

Horácio Salgado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Horácio Salgado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Horácio Salgado disse...

Engraçado você escrever isto, pois nunca espero por nada, e não porque seja pessimista, mas porque em verdade não há pelo que esperar. É a minha natureza. Bem... desculpe-me...

Agradeço que tenha incluído meu diário na sua lista, ainda que eu entenda que não mereça. Cuido que fizeste muito bem em acrescentar a letra "h" na frente do link, de modo que ninguém possa acessá-lo; em se tratando do meu diário, eu faria o mesmo. Não creio que se interessariam, de qualquer modo.

Carla disse...

...pode ser tão dolorosa a espera!
boa semana
beijos

claras manhãs disse...

Olá Horácio

obrigado por me chamar a atenção da asneira do link.
É muito raro acertar nos links à primeira....
não posso fazer nada, sou mesmo assim, tal como você que não espera por nada.

Beijinho

claras manhãs disse...

Olá Carla

Há pois pode! mas também há as esperas que nem damos conta, essas as piores.

beijinho

Bartolomeu disse...

Olá mocinha.
Excelente post. A Marília Campos soube transformar numa oração os desejos mais simples e mais prementes nas vidas de todos nos.
«todos esperamos
tudo da vida, como se ela fosse rebuçado embrulhado em papel dourado, sentindo-nos infelizes por a realidade ser mais dura e não haver nem embrulho, nem papel dourado, nem rebuçado»
;)
será este rebuçado embrulhado em papel dourado, aquele amor que todos sonhamos com, um dia encontrar?!

Fatyly disse...

Esperar faz parte do processo VIDA transformado em momentos e apesar de não ser fácil...quando passam olhamos e já estamos de vovo à espera!

Beijos

claras manhãs disse...

Olá Bartolomeu


Sabes?
acho que a maior parte das pessoas passa a vida a sonhar encontrar, ou à espera de encontrar......
um amor que se atrasa,um telefonema iue não chega, um futuro que se arrasta.

A questão é, se não se encontrou já e não se deixou fugir

Beijinho e não te esqueças que tenho saudades da tua escrita.

claras manhãs disse...

Olá Fatyly

e será que teremos de passar assim a vida?
chato, não?

beijinho

Fatyly disse...

Não é nada chato, chato seria se não fosse salteado por momentos bons, porque os há diariamente, nós é que de tão aparvalhados nem damos por eles.



PS. HOJE É O DIA DA BLOGAGEM COLECTIVA POR FLÁVIA:)

Beijocas miúda linda

claras manhãs disse...

Chato, em relação à espera.
Não sei se será obrigatória.

Esqueci-me, favas.

xistosa - (josé torres) disse...

Esperar ou manter-se na expectativa, ter uma esperança mesmo longínqua.
Poderá ser um optimismo exagerado.
Uma demora, aguardando-se por um nada.
Esperamos ...
Quando temos uma ilusão ...
Esperamos quando até pode ser um recear.
Podemos ter uma certeza.
Podemos esperar todos, por todos, por qualquer coisa que ansiamos.
Mas esperar um amor ... quando passam os dias, desesperamos e perdemos a noção do tempo, de nós mesmos.
Quando nos apercebemos, a espera foi longa, nem deveríamos esperar, estamos cansados, o amor diluiu-se, o relógio não parou e o futuro poderá ter passado e nós ficámos definitivamente enfraquecidos.

Mofina Mendes disse...

É a espera que constrói o dia-a-dia. Não há outro tempo para além deste: o da espera. E vale a pena, sim, para renascer!

Obrigada

Pena disse...

Doce e muito Estimada Amiga de Encanto:
DESCULPE, Hoje não vim para comentar o seu belíssimo Post genial.
OBRIGADO pela sua beleza e pureza. Serão inesquecíveis.
Até um dia.
Adeus.
Beijinhos de maravilhar por tanto encanto.
Sempre a preservá-la em mim e no que sou.
Sensibilizado...!!!
Emanando ternura e carinho perante a enormidade talentosa dos seus lindos Posts que valem ouro e são confeccionadas por mãos delicadas de um requinte fabuloso.
Boa sorte.
Com deslumbre pela sua magia perpétua.
Vejo tanto maravilha que abraça e arrebata ternamente.
A sua doce amizade é inconfundível. Se algum disse alguma inconveniência ou insensatez, desculpe-me.
Talvez, um dia nos encontremos de novo.
Grato pela sua pura e linda amizade.
De sonho.
Felicidades sinceras...!
O Amigo que jamais a esquecerá e à sua sensibilidade poética/prosa enorme e fantástica

pena

OBRIGADO!

Luís Maia disse...

Olá minha querida

magnífico como tu sabes fazer, levo-o para o meu espaço dos eleitos.

deixa-me comentar que este é o post que não escreverias com 20 anos, só muito mais tarde se escreve assim

Um beijinho

claras manhãs disse...

Olá Xistosa

também penso assim, sempre

beijinho

claras manhãs disse...

Olá Mofina Mendes

sorriso enternecido

Há tempos e depois deles, outros vêm.

Beijinho

claras manhãs disse...

Olá Pena


Obrigado pelas tuas palavras.
Ficarei à espera (sorriso) desse tal dia.
Porque voltarás, tenho quase a certeza.

Beijinho de amizade
Tudo de bom para ti, sempre

claras manhãs disse...

Olá Luisinho

Como sabes, ou penso que sabes, não olho para trás com pena, nunca olharei.
Adoro fazer anos e é sempre uma festa o ter mais um.
Não, tens razão, nunca o teria escrito aos 20, nem aos 40.

Beijinho agradecido

Meg disse...

Claras,
De esperas e de ausências são feitas tantas horas ao longo da nossa vida!
Mas elas são, por outro lado, também um sinal de espera(nça) e de futuro.

Um grande abraço e saudades

claras manhãs disse...

Olá Meg

sorriso

Pois são, minha querida, pois são.
É o que vale!

beijinho grande

CNS disse...

A espera. A forma mais humana de galgarmos o tempo. Excelente texto!


Um abraço

claras manhãs disse...

Olá Cristina

Bem-vinda a este espaço


Um beijinho, feliz por nos reencontrarmos.

Mateso disse...

A espera é o suspiro do mundo na voz do homem que sonha.
Lindo texto
Bj.

claras manhãs disse...

Olá Mateso


Lindo comentário!
obrigado

beijinho