skip to main | skip to sidebar

22 de dezembro de 2008

NATAL



Jack Radcliffe




Na janela o reflexo de uma cortina arrendada, que ela não vê
Uma caneca na mão, o cigarro na outra e a vontade de descobrir o fim do problema, ou a maneira de lá chegar
Mas o que sente é só a angústia, que a não deixa dormir vai para três noites, desde que sabe, a falta de coragem que tem tido
Tem de contar e não é capaz.
Como se conta a quem tanto avisou, que se engravidou?
E anda às voltas sem saber a reação que terão, sem ter coragem para os enfrentar
Seria mais fácil se lhes dissesse que faziam tenções de casar ou de viverem juntos, mas ela não quer, lá porque engravidou, juntar-se e ainda menos casar. Tinha saído com ele, mas não lhe quer
Como se diz? Como lhes há de comunicar?
Com que palavras?
E porque não se terá lembrado disso, antes de não ter cuidado?
Sabe que lhes vai dar um desgosto
Já entrou tantas vezes naquela sala onde todos estão, para lhes dizer…
Ainda há um bocadinho, só lhe apetecia gritar – estou grávida! – mas olhou para todos e saiu de mansinho. Iam ficar todos a olhar para ela, estupefactos
Dizer só à mãe, também não é solução, terá de ouvir n discursos, não, têm de estar todos juntos, talvez a meio de uma qualquer conversa….
Como se diz a quem tanto avisou? Como? Céus!
Anda neste labirinto de medos, de pensares, de soluções arranjadas para logo as pôr de lado, de faltas de coragem, para voltar aos medos, círculo bem fechado, sem encontrar uma saída, sem saber como começar, sem dormir, fumando e não devendo
Repentinamente, vem-lhe mais uma vez a raiva de naquele sábado se ter deixado ir e não se ter preocupado, ela que anda sempre com um preservativo na carteira
Tem medo. Tem medo que a pressionem a fazer o que ela não quer
Pensa depois que não tem razões para isso, mas sabe que a deceção da família irá ser grande. Dececionou-os! não sabe como irá reconquistar a confiança de todos eles.
Apaga o cigarro, jura a ela própria que foi o último, acaba de beber o café com leite e dirige-se vagarosamente para a sala. Fica à porta a olhá-los, marejam-lhe os olhos ao pensar que os poderá perder, é quando o pai levanta a cabeça e vê as primeiras lágrimas que na sua pele vão abrindo caminho lentamente. Lágrimas de mulher.
Antes que lhe façam alguma pergunta diz que está grávida e tal como esperara, todos levantam a cabeça, ao mesmo tempo, fixando nela o olhar.
Espera que consciencializem o que lhes acabou de dizer e mais uma vez se adianta às perguntas, dizendo quem é o pai, que não se vai juntar, nem casar, que vai ter aquela criança.
As perguntas irrompem, todas de uma vez. Há um bruá que ela nem tenta entender, ficando silenciosa. É a mãe que impõe silêncio e lhe diz meigamente que se tem tudo já pensado não será ninguém da família que se oporá ao que ela entenda dever fazer.
Corre a refugiar-se nos braços que se estendem para ela, e é ao ouvido de quem lhe deu a vida que pede desculpa pela deceção causada.
Pai e mãe trocam olhares por cima do seu ombro, olhando depois para essa filha tão bonita em quem depositaram tanta confiança, para essa filha tão amada, que começa a vida de adulta complicando-a, quando poderia tê-la mais fácil se tivesse seguido os seus conselhos.
Mas também sabem que cada um tem um percurso a fazer e que o escolhe, mesmo que inconscientemente, que asneiras se fazem em todas as idades, que um filho é sempre uma alegria, no fundo orgulhando-se que o assuma conscientemente.
Só então o pai lhe diz que o resto da conversa ficará para o dia seguinte.
NATAL, é quando qualquer criança nasce, por Amor a ela.


18 comentários:

Carla disse...

adoro ler-te

passei para desejar
_________________Paz
_______________União
______________Alegrias
_____________Esperança
____________Amor Sucesso
___________Realizações Luz
__________Respeito harmonia
_________Saúde solidariedade
________Felicidade Humildade
_______Confraternização Pureza
______Amizade Sabedoria Perdão
_____Igualdade Liberdade Boa sorte
____Sinceridade Estima Fraternidade
___Equilíbrio Dignidade Benevolência
__ Força Tenacidade Prosperidade Reconhecimento
_______________!!!!
_______________!!!!
_______________!!!!

beijos e FESTAS FELIZES

claras manhãs disse...

Olá Carla

sorriso espsntado por tanto trabalho!

lindo!
Obrigado minha querida

Nanny disse...

Passei a deixar um grande beijinho e um abraço de Boas Festas.

(Estou toda contente, hoje o meu censor armou-se em generoso e deixou os acessos aos blogger abertos, deve ser prenda de Natal)

Beijocassssss

p.s. Desculpa a ausência :-$

rakel disse...

Há já algum tempo que me perco nestas claras manhãs, mas sempre em silêncio, mas hoje perdi um pouco a vergonha e não pude deixar de lhe deixar um beijinho e um abraço de alguém que a admira muito.
Ando já algum tempo pelo universo dos blogues, mas só recentemente ganhei coragem para criar um espaço meu.

Este seu conto de Natal, mais uma vez está espetacular e só prova que a vida é simples, nós é que temos sempre a tendência de complicá-la e de darmos por adquirido a reacção que os outros vão ter em determinadas situações.E quase sempre quando isso acontece nos surpreendemos, não é? Amor de Pai e Mãe é unico, só é pena que não seja sempre assim, infelizmente.
Desejo-lhe um Bom Natal, com tudo de bom e um 2009 recheado de alegria, paz e muita saude para si e para todos os seus.
Um beijo
rakel

claras manhãs disse...

Olá Nanny, querida

Que bom teres passado por aqui.
Tenho saudades tuas, e sei que a culpada sou eu
Um Bom Natal minha querida, ainda passo hoje pelo teu canto

beijinho

claras manhãs disse...

Olá Rakel

Bem-vinda e de que maneira, ao Claras Manhãs!!!!!
Só espero que a vergonha (sorriso) tenha desaparecido para sempre.
Este nome, lembrou-me outro alguém e as lágrimas correm-me pela cara, de saudades, de amizade profunda.
Para ti, para este Natal e para o ano de 2009, todo o Amor que exista, saúde, para ti e para todos os teus.

beijo grande e grande abraço, apertadinho

Mariz disse...

As novas crianças trazem consigo,UM MUNDO NOVO.
Beijos e abraços nesse MUNDO que já despontou - onde a maioria ainda nem deu por isso!
MAriz

silvioafonso disse...

.


Eu não quero tomar conhecimento dos seis comentários que antecedem ao meu. Não quero contrariar ou apoiar os que pensaram, repensaram e a seu modo deixaram os seus conselhos porque não quero perder a concentração que tenho sobre o assunto. Portanto, vamos lá. Por sobre os seus ombros, pai e mãe se entreolham não com crítica, mas com grande felicidade. Eu sei que seria perigoso neste momento soltar fogos, contratar uma banda e distribuir flores porque uma vida custa caro. Mas quem não pagaria o preço que fosse por uma vida que virá e é fruto da saúde, da concórdia e harmonia? Todos os seus parentes e amigos estão felizes, mas a preocupação faz sentido. Dentro de quinze anos, no entanto, o Engenheiro(a), gari, Lutador(a) de artes marciais, Advogado ou balconista estará completando mais um ano de vida e ninguém estará mais feliz com a data senão você e os que, com você, apoiaram o rebento que a qualquer momento arrebenta a porta e toma para si este mundo que não teve jeito com os que aqui estão.

Dê uma chance a paz e não deixe cantar sozinho este coro de "passarinhos".

Feliz Natal.

silvioafonso.




.

M. disse...

E hoje, porque sim, quebro silêncios, a beleza reina aqui. Desejo-te dias felizes e serenidade nos corações.´

Abraço

claras manhãs disse...

Olá Mariz

Vês? dizes melhor do que eu, o que vai dentro.
Estamos em sintonia.

beijinho, Mariz

claras manhãs disse...

Olá Sílvio


É verdade!
O Mundo não teve jeito connosco e no entanto quantos sonhos não fizemos para melhorar o Mundo!?
Não conseguimos, não fomos suficientemente audazes, não acreditámos que a transformação deveria vir de dentro de nós.
Tentámos, timidamente. É verdade.
Mas talvez ainda cá estejamos para dar a mão a esses que estão a nascer agora, ou que têm dez ou carorze anos.
Então, talvez nos estejamos a redimir.

Feliz Natal, Sílvio

beijinho

Fatyly disse...

Quantas jovens não sentem esse sufoco enveredando por vezes por caminhos sinuosos com medo de...e a maioria dos pais abrem-lhes os braços, mas também há quem os feche.
Um belo conto e de facto "NATAL é quando qualquer criança nasce", sobretudo "por amor a ela" e esse amor arrasa montanhas - nascida em berço de ouro ou em berço de palha ou simplesmente em cimo de uma árvore!

Beijos

claras manhãs disse...

Olá M


Dias felizes, também para ti e principalmente, Amor
porque o Amor traz sempre consigo a serenidade.
Obrigado


beijinho

claras manhãs disse...

Olá Fatyly


Há muitos que os fecham, não temos dúvidas sobre isso, e há muitos que fazem pressão, para outras soluções.
Este, é um conto de Natal, queria que fosse assim.
mas o proximo é mais duro.

beijinhos e Bom Natal para ti

Horácio Salgado disse...

"Papai, mamãe: embuxei!"

Saibas que foste tu a despertar em mim esta sensação nova. Não que antes ela não existisse; era eu que não atentava nela. Mas o teu "Mordaz" no comentário modificou tudo, e o resto se fez sozinho.

Quanto ao natal, tenha o melhor do mundo com o teu melhor presente que poderia receber. Alguns hão de sorrir o que sobra da alegria.



(Feliz yule, minha cara! Tens msn?)

claras manhãs disse...

Oh Horácio!

eu é que tive tanta sorte por te conhecer.
Despertaste o mordaz, que às vezes esqueço, que também tenho
Mas é dia grande, quando há post novo no 'Diário de um homem banal'
Meu lindo recuso-me a usar o msn.
É da idade, não leves a mal.
O melhor presente que poderia ter, está dado, mas quem mo deu, nem imagina que era o melhor presente
Circunstâncias da maravilha da Vida.

Feliz yule (seja lá isso o que for) para ti também
Gosto de ti

beijinho

Mateso disse...

O conto ,minha querida, é lindo. De Natal. Porém ,todos nós sabemos, que Nós não somos assim tão cordatos, nem tão passivos e muito menos felizes. Era bom!... pensemos que talvez por uma época assim é... talvez... sobretudo na vida das palavras.
Beijinho.

claras manhãs disse...

O conto, Mateso, foi, propositadamente, escrito para o final que tem.
mas era bom que assim conseguíssimos agir.

Beijinho